• A combustão dos motores Diesel

    Publicado em 18 de Junho de 2009 Clube do Diesel Sem comentários

    combustao_motores_diesel-copia

    Os motores Diesel tem um ciclo de quatro fases: admissão, compressão, combustão e escape:
    Admissão: inicia-se com o pistão no Ponto Morto Superior (PMS). A válvula de admissão se abre e o pistão ao descer aspira o ar para dentro do cilindro.
    Compressão: quando o pistão atinge o Ponto Morto Inferior (PMI) inicia-se a compressão quando o pistão volta a subir e as válvulas permanecem fechadas. A temperatura e a pressão do ar dentro do cilindro aumentam substancialmente devido à diminuição do volume.
    Combustão: Pouco antes do PMS o combustível é pulverizado pelo injetor, misturando-se com o ar quente até que se dá a combustão espontânea. A expansão dos gases dentro do cilindro ocorre empurrando o pistão para baixo e gerando a força.
    Escape: ocorre quando o pistão sobe novamente e faz com que os gases de combustão sejam expulsos do cilindro, retomando assim os 4 tempos do ciclo.
    A principal diferença no funcionamento entre o ciclo Diesel e o ciclo Otto reside na forma como é “provocada” a explosão. Em uma versão diesel a mistura do combustível é inflamada pelo aquecimento do ar sob o efeito da compressão, enquanto nos motores movidos a gasolina/álcool é necessária uma faísca, expelida por uma vela de ignição, para que ele entre em funcionamento.

  • Como reduzir o consumo de combustível

    Publicado em 16 de Junho de 2009 Clube do Diesel Sem comentários

    Muitos são os mitos e verdades sobre a maneira de condução do veículo e a mudança de hábitos para a economia de combustível. Mas é importante lembrar que a economia é importante, mas é preciso ter cautela para que não ocorra danos ao motor. Por isso, fique atento às dicas:
    Evite as arrancadas e freadas bruscas, procure acelerar progressiva e controladamente; procure não esticar as marchas, troque-as em uma rotação adequada; cuidado com o posto de abastecimento, o combustível adulterado gera depreciação do motor; utilize aditivos para manter o sistema livre de impurezas; como falamos anteriormente, as manutenções e revisões preventivas nos bicos, velas, e outras peças, são extremamente importantes; fique de olho no filtro de ar e lembre-se de calibrar os pneus corretamente.
    Desta maneira é possível reduzir o consumo de combustível, e prolongar a vida útil de seu motor.

  • Mistura de B4 no diesel será obrigatória a partir de julho

    Publicado em 8 de Junho de 2009 Clube do Diesel Sem comentários

    O governo federal anunciou recentemente o aumento na mistura obrigatória de biodiesel no óleo diesel, dos atuais 3% (B3) para 4% (B4) a partir de 1º de julho, com base na decisão do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), órgão do Ministério das Minas e Energia que assessora diretamente o Presidente da República.
    As empresas fabricantes de biodiesel receberam a noticia com otimismo, sobretudo com o alívio na pressão entre oferta e demanda. Especialistas estimam que a ociosidade nas fábricas deve recuar dos atuais 60% para 48% com a entrada da medida. A capacidade de produção instalada atual é estimada em 3,5 bilhões de litros anuais de biodiesel e com a implantação em julho do B4, a demanda deverá saltar dos atuais 1,35 bilhão para algo em torno de 1,8 bilhão de litros anuais.

    Ler o resto deste artigo »

  • Dicas de instalação de um turbo no motor (parte II)

    Publicado em 4 de Junho de 2009 Clube do Diesel Sem comentários

    dicas-de-instalacao-de-um-turbo-no-motor-copia

    6- Intercooler
    A linha de pressão entre o turbo e o motor não deve apresentar vazamentos, principalmente furos no intercooler. Teste-o se possível e certifique que não tem resíduos de óleo, que poderá causar falsa impressão que o novo turbo está com passagem de óleo.
    7- Lubrificação/Refrigeração do turbo
    Troque o óleo, verificando a pressão da bomba e não se esqueça de trocar o filtro, conforme recomendações do fabricante do motor. Não use cola na entrada de óleo do turbo e verifique as condições do conduíte, que pode estar soltando fragmentos de borracha, causando danos ao turbo. Impeça que o motor pegue e acione a partida durante 10 a 15 segundos para iniciar a circulação do óleo e em seguida ligue o motor em marcha lenta durante 3 a 4 minutos, verificando possíveis vazamentos.
    8- Retorno de óleo para o cárter
    Não deve usar cola na junta e o conduíte deve estar em bom estado, evitando curvas que possam dificultar a descida do óleo do turbo para o cárter.
    9- Cárter
    Verificar possível pressurização do cárter como, por exemplo, respiro obstruído ou mesmo motor passando compressão para o cárter, isto poderá dificultar a circulação do óleo pelo turbo.
    10- Mangueira de sucção
    Sempre conferir a entrada de ar do filtro do turbo. Principalmente quando ocorreu uma quebra do turbo que estava no veículo.

    Fonte: Garrett

     

  • Dicas de instalação de um turbo no motor (parte I)

    Publicado em 2 de Junho de 2009 Clube do Diesel Sem comentários

    1 – Motor
    Calibre as válvulas do cabeçote, regule os bicos injetores e verifique o ponto estático da bomba injetora que deve estar lacrada.
    2 – Coletor de descarga
    Não deve estar desprendendo partículas, nem ter trincas ou soldas. As juntas não devem apresentar vazamentos.
    3 – Freio Motor (caso tenha)
    Verificar quanto ao fechamento e abertura corretos.
    4 – Escapamento
    Não deve estar obstruído, principalmente o silencioso, isto pode provocar superaquecimento de todo o conjunto e esforço axial no turbo.
    5 – Filtro de ar
    Estando sujo, provoca vazamento de óleo de turbo, bem como super rotação do eixo, portanto deve ser substituído e nunca soprado. A mangueira até o turbo não deve estar ressecada, pois pode soltar fragmentos para o turbo. Apertar bem as braçadeiras evitando entrada de ar na mangueira de sucção, certifique que o compressor não está jogando óleo para o turbo.

    Fonte: Garrett

  • O que devo fazer se a lâmpada de anomalia do sistema eletrônico acender?

    Publicado em 28 de Maio de 2009 Clube do Diesel Sem comentários

    lampada-de-anomalias

    Procure um serviço autorizado, pois o veículo, em algumas falhas eletrônicas, possui estratégia de emergência. Esse tipo de estratégia permite que, mesmo com problemas eletrônicos, o condutor possa dirigir o veículo até um serviço autorizado sem correr risco. Em algumas falhas eletrônicas, a estratégia de emergência, reduz a potência do motor, para protegê-lo de possíveis danos mais graves.

  • Pode-se limpar o motor com auxílio de produtos químicos ou derivados de petróleo tais como ácidos de limpeza, óleo diesel, querosene ou óleo de mamona?

    Publicado em 26 de Maio de 2009 Clube do Diesel Sem comentários

    Não. Os derivados de petróleo comprometem seriamente as peças de borracha e plástico, além disso, os ácidos presentes nos produtos químicos atacam todo o motor, inclusive as proteções anti-corrosão das peças metálicas. Caso não exista alternativa e seja necessário lavar o motor, siga estas recomendações:
    - Espere o motor esfriar
    - Cubra a entrada do filtro de ar e dos componentes e conectores elétricos
    - Em seguida, aplique jatos de água morna em baixa pressão para remover a sujeira.

  • Curiosidade: Biodiesel de borra de café

    Publicado em 21 de Maio de 2009 Clube do Diesel 4 comentários

    biodiesel-de-borra-de-cafe-copia3

    Cientistas da Universidade de Nevada, EUA, comprovaram que a borra do café é eficiente para produzir biodiesel. As experiências foram realizadas com grãos e borras descartados de uma grande rede de cafeterias americana.
    O potencial energético da borra de café é tão bom quanto o da soja e da palmeira.
    A borra contém de 11% a 20% de óleo que pode ser convertido em biodiesel, e a soja e a palmeira 20% de óleo.
    Atualmente o Brasil é o maior produtor mundial de café, sendo responsável por 30% do mercado internacional, volume equivalente à soma da produção dos outros seis maiores países produtores. É também o segundo mercado consumidor, atrás somente dos Estados Unidos.
    Se a idéia der certo, países produtores de café, como o Brasil, se beneficiariam com o promissor combustível.

    Fontes: Revista DBO Agrotecnologia
      Site ABIC

  • Qual a função do sensor de pressão e temperatura do óleo lubrificante?

    Publicado em 19 de Maio de 2009 Clube do Diesel 4 comentários

    Ele é um sensor duplo e serve para medir a temperatura e a pressão do sistema de lubrificação do motor. Sua função é a de proteger o motor, pois se a temperatura do óleo lubrificante estiver muito alta ou caso falte pressão no sistema de lubrificação, o sensor faz com que o motor vá perdendo a potência e pare, evitando danos. Na maioria dos modelos, quando isso acontece uma luz vermelha se acende no painel. Quando isso acontecer, é aconselhável dirigir-se ao acostamento, pois o próximo passo será a parada do veículo.

  • “Advanced EGR”: menor custo operacional, maior facilidade

    Publicado em 14 de Maio de 2009 Clube do Diesel 4 comentários

    A nova geração de motores diesel on-highway para veículos comerciais deverá contar com novas tecnologias para atender as drásticas reduções nas emissões, principalmente NOx, que serão obrigatórias na próxima década. Grande parte dos fabricantes de motores planeja oferecer um novo sistema auxiliar para aftertreatment usando o SCR ou EGR. No caso da Navistar Engines, para o mercado norte americano, foi adotado o “Advanced EGR” uma tecnologia aplicada nos novos motores MaxxForce e que conta com quatro características principais:

    Ler o resto deste artigo »